RESULTADOS DA PESQUISA MUNDIAL DE MICOTOXINAS BIOMIN – TERCEIRO TRIMESTRE

72% de todas as amostras (analisadas para pelo menos duas micotoxinas) continham mais de uma micotoxina, de acordo com a Pesquisa Mundial de Micotoxinas BIOMIN do terceiro trimestre de 2019.

América latina

Na América do Sul, as micotoxinas mais comuns no milho foram as fumonisinas (FUM), com uma prevalência de 89%, seguidas pelo desoxinivalenol (DON), com 58% de prevalência. 94% das amostras continham pelo menos uma micotoxina e 61% estavam co-contaminadas.
Na América Central, o DDGS mostrou um alto risco de contaminação. 100% das amostras foram contaminadas com FUM, DON e zearalenona (ZEN) (média de positivos 7.485 ppb; 2.251 ppb e 755 ppb).

América do Norte

A América do Norte permanece em risco extremo, o DON mostra uma alta prevalência (83%), seguido pelo ZEN com 60%.

Europa

O trigo europeu está altamente contaminado com DON, com uma prevalência de 72% (concentração média de 1.022 ppb) e mostra uma concentração máxima de 21.980 ppb.
No norte da Europa, o DON aparece com freqüência no milho (concentração média 2.843 ppb, prevalência 73%).
O FUM foi muito abundante no milho da Europa Oriental (concentração média 2.448 ppb, prevalência de 76%).

Ásia

Na China, o risco permanece extremo, principalmente devido à alta ocorrência de micotoxinas de Fusarium: FUM (94%), DON (92%) e ZEN (83%). Na mesma região, o sul da Ásia também mostrou um risco extremo, com aflatoxina aparecendo em 89% das amostras (concentração média de 20 ppb).

África

No milho africano, o DON é a micotoxina mais prevalente com 82% e apresentou uma concentração máxima de 10.607 ppb.
 

 

Subscrever